Santa Isabel da Hungria – filha de rei e mãe dos pobres

Neste sábado, 17, a Igreja Católica festeja Santa Isabel da Hungria, a padroeira dos franciscanos da Terceira Ordem Regular (TOR). Na matriz de São Jorge, a celebração de 19h foi dedicada à santa e a sua memória de amor e dedicação a Deus, por meio do exemplo de São Francisco de Assis e de sua preferência pelos pobres, enfermos e marginalizados.

Isabel era filha de André, rei da Hungria, e nasceu num tempo em que os acordos das nações eram selados com o casamento. No caso de Isabel, ela fora prometida a Luís IV em matrimônio, um pouco depois de seu nascimento em 1207.

Santa Isabel foi morar na corte do futuro esposo e lá começou a sofrer veladas perseguições por parte da sogra que, invejando o amor do filho para com a santa, passou a caluniá-la como esbanjadora, já que tinha grande caridade para com os pobres.

Mulher de oração e generosa em meio aos sofrimentos, Isabel sempre era em tudo socorrida por Deus. Quando já casada e com três filhos, perdeu o marido numa guerra e foi expulsa da corte pelo tio de seu falecido esposo, agora encarregado da regência.

Aconteceu que Isabel teve que se abrigar num curral de porcos com os filhos, até ser socorrida como pobre pelos franciscanos de Eisenach (Alemanha), uma vez que até mesmo os mendigos e enfermos ajudados por ela insultavam-na, por temerem desagradar o regente.

Isabel entrou na Ordem Terceira de São Francisco. Fundou um convento de franciscanas em 1229 e pôs-se a servir os doentes e enfermos até morrer, em 1231, com apenas 24 anos num hospital construído com seus bens.

Ritos

Presidida por frei Faustino, a celebração deste sábado foi concelebrada pelos freis Agostinho e Rogério. Durante a homilia, Faustino falou sobre a vida e o exemplo de Santa Isabel da Hungria e convidou a assembleia a conhecer um pouco mais sobre a história da santa e como seu exemplo de doação aos pobres pode incentivar leigos e leigas a fazerem votos de caridade, amor ao próximo e renúncia.

Frei Faustino falou, brevemente, sobre a Ordem Franciscana Secular (OFS), pertencente à Terceira Ordem, e que a OFS é local de formação à luz dos ensinamentos franciscanos. Também participaram da celebração os frades da Ordem Primeira e os Frades Menores.

Durante a Santa Missa os membros da nossa paróquia, José Alberto Perdigão e Jimi da Silva Padilha, que eram simpatizantes, tornaram-se iniciantes ao tempo de formação na OFS; os dois receberam às boas-vindas dos integrantes da Ordem Secular e dos fiéis. Jenifer da Silva Padilha, que já foi iniciante e deu início ao Tempo de Formação ao Conselho da Fraternidade e recebeu dos frades o Evangelho e a Regra de Vida Franciscana. Já Franciane Monteiro Cavalcante Sarmento e Rômulo de Melo Rodrigues, que já passaram pelo tempo de formação fizeram neste dia 17/11 os votos de profissão definitivos, receberam hoje as insígnias, o TAU.

No próximo sábado, 24, às 19h, a Paróquia São Jorge realizará o arraial de Santa Isabel da Hungria e os fiéis são convidados a participar. O festejo em honra à padroeira dos franciscanos da Terceira Ordem Regular (TOR) será realizado na área externa da casa dos frades, situada na rua Vicente Reis, número 31.

Oração à Santa Isabel da Hungria

Ó Deus, que destes a Santa Isabel da Hungria reconhecer e venerar o Cristo nos pobres,
concedei-nos, por sua intercessão, servir os pobres e aflitos com incansável caridade.
Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. Amém.

Outra oração:
Essa oração é para haver bem estar material no lar e nunca faltar alimentos.

Em nome do Pai, e do Filho e d

o Espírito Santo.

Gloriosa Santa Isabel da Hungria, protetora dos lares e das famílias virtuosas,
vós conseguiste a conversão de vosso esposo, o rei à fé,
fazendo nascer em seu coração, o sentimento de caridade para com os pobres e humildes.

Vós dedicastes vossa alma à caridade e destes às famílias desamparadas, vosso socorro.

Assim, cheio de confiança em vosso mérito, rogo vossa interseção perante Deus, Nosso
Pai, a fim de que esteja meu lar sempre protegido e tranquilo, e que, em minha família, jamais falte o suficiente para a manutenção e para o socorro dos pobres que baterem à nossa porta implorando auxílio em nome de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém.

Por Michele Gouvêa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *