Centenário de Nossa Senhora de Fátima será celebrado com procissão luminosa

Por Michele Gouvêa

No próximo dia 13, a Igreja Católica faz memória da aparição de Nossa Senhora de Fátima aos três pastores. Neste centenário, uma grande programação foi organizada em todo o mundo para relembrar que em 13 de maio de 1917, a Virgem Maria apareceu aos irmãos Francisco (10 anos), Jacinta (9 anos) e a prima deles, Lúcia, em Cova da Iria. Na época, o local ficava em um terreno pedregoso próximo à localidade de Fátima. Esta “mulher mais brilhante que o sol” apareceu em outras cinco ocasiões nos meses seguintes.

Na paróquia São Jorge, os cem anos de devoção popular será celebrado na Comunidade Eclesial de Base (CEB) Nossa Senhora de Fátima, localizada na rua Boa Esperança, número 605, Vila da Prata. Pela primeira vez será realizada a procissão luminosa, onde todos os fiéis são convidados a levar velas para que sejam acesas durante a procissão e, assim, embelezem ainda mais este momento de fé católica.

A procissão este ano também terá um novo percurso. Ela sairá, às 18h, da rua Boa Esperança, passará pelas ruas Ademar de Barros, Brasil, Arthur Reis e Ajuricaba, retornando para a Boa Esperança. Após a procissão será celebrada uma missa campal em frente a CEB Nossa Senhora de Fátima.

Depois da missa, a comunidade é convidada a participar do lanche partilhado. Além de levar velas para a procissão, quem quiser contribuir para o lanche partilhado pode levar bolos, mingaus, cachorro-quente e guloseimas em geral à sede da CEB Nossa Senhora de Fátima, a partir de 9h do sábado (13). Este ano, o tema dos festejos à Nossa Senhora é “Nossa Senhora de Fátima guia-nos na missão de cultivar e guardar a criação”.

Uma mensagem em três segredos

Segundo a versão de Lúcia, que se tornou irmã e viveu até os 97 anos, a Virgem lhes passou uma mensagem que deviam manter em segredo, mas da qual o papa Pio XII revelou publicamente duas partes em 1942. O primeiro segredo se referia a uma “visão do inferno” para denunciar o ateísmo e as perseguições contra a Igreja.

O segundo evocava “uma guerra ainda pior” à que estava ocorrendo em 1917, e pedia a penitência dos cristãos e a “conversão da Rússia”, na época atingida pela revolução bolchevique.
O terceiro segredo, revelado pelo Vaticano em 2000, continha uma visão, julgada profética, a do atentado lançado contra João Paulo II na praça de São Pedro de Roma, em 13 de maio de 1981.

Em uma visita a Portugal em 2010, seu sucessor, Bento XVI, deu uma interpretação atualizada, afirmando que a Virgem anunciou o sofrimento da Igreja, que na época foi atingida por escândalos de pedofilia.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *