Serviços sociais aproximam a igreja da comunidade

Por Hedre José

A Paróquia de São Jorge, além dos serviços pastorais que estimulam a evangelização, também se preocupa com a missão que vai além das portas de igreja. Pensando nisso, existem dois projetos que se desenvolvem nos setores da psicologia, cultura e esporte, com o ensino da capoeira.

Em São Dimas, há seis anos é desenvolvido o projeto “Associação Cultural Desportivo Manaus Capoeira”. Iniciado em 2 de maio de 2011 pelo mestre de capoeira José Carlos completa, 45, morador do bairro São Jorge há 33 anos, o projeto tem o objetivo de ajudar jovens e adolescentes em situação de vulnerabilidade social por meio do ensino da capoeira.

De acordo com o professor de capoeira, o pré-requisito para participar do projeto é que o aluno esteja matriculado e frequentando a escola com assiduidade. Além do ensino da capoeira, José Carlos afirma que é premissa do projeto a busca pela religiosidade e a consciência de que é preciso manter um convívio familiar e nutrir boas amizades.

“O principal foco é ajudar aqueles que estão nas ruas e correm riscos de se envolver com drogas e outras mazelas. É uma oportunidade de reintegração a uma vida melhor, voltada para os estudos, o trabalho e uma boa convivência familiar”, disse.

Atualmente, 10 pessoas participam do projeto, mas já teve um tempo em que 90 pessoas treinaram capoeira no projeto “Associação Cultural Desportivo Manaus Capoeira”, incluindo crianças, adolescentes e adultos. O mesmo trabalho desenvolvido em São Dimas também é realizado na Cidade Nova, Zona Norte.

Conforme o professor de capoeira, a perseverança no projeto gerou bons frutos e alguns alunos de capoeira de São Dimas estão em outros países, também desenvolvendo trabalhos com capoeira, como: Equador, Peru, Espanha, Israel, República Dominicana, Haiti e Alemanha. No Brasil, ex-alunos de capoeira de São Dimas dão aulas em Belo Horizonte, São Paulo, Macapá, Belém, Parintins, Rio Grande do Norte, Autazes, Roraima e Rio Grande do Sul.
Psicologia em Sant’Ana

Em Santa’Ana outro projeto paroquial que acontece é o de psicologia. Sob a coordenação da professora Iracema, que leciona no Centro Universitário do Norte (Uninorte) e neste trabalho recebe o auxílio de alunos do curso de psicologia, o serviço consiste, basicamente, na roda de terapia.

Nesta metodologia, as pessoas fazem uma roda e em grupo começam a compartilhar suas experiências de vida. Antes de ser integrado à paróquia, este serviço de psicologia acontecia na comunidade Arthur Bernardes, São Jorge, onde 527 famílias ficaram desabrigadas após um incêndio, em 27 de novembro de 2012.

Sem ter para onde ir, os desabrigados foram alocados no Centro Poliesportivo Nininberg Guerra, localizado na rua Emília Ruas, em frente à igreja São Jorge. Dias após a tragédia e, consequentemente sem ter um local adequado para que o serviço de psicologia fosse prestado, foi cedido um espaço nas dependências da comunidade e Sant’Ana para que os atendimentos tivessem continuidade e lá permanecem até hoje.

De acordo com o pároco de São Jorge, frei Agostinho, o serviço presta atenção especialmente a pessoas mais carentes e que precisam deste suporte para superar ou aprender a lidar com problemas psicossociais e, portanto, merecem toda atenção.

“O que fazemos é o mínimo, que é ceder o espaço e nossa confiança de que esse serviço pode auxiliar as pessoas a superarem momentos ou situações difíceis de suas vidas pessoais e com a comunidade. Nosso interesse é acolher e que bom que esse projeto também nos permite isso”, falou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *