Comunidade São Francisco de Assis festeja Nossa Senhora dos Anjos

A Comunidade São Francisco encerrou nesta quinta-feira, 2, as homenagens em honra à Nossa Senhora dos Anjos, que teve início no dia 29 de julho, com missa e arraial, e foi seguida do tríduo, ocorrido nos dias 30 e 31 de julho, e 1º de agosto. Nossa Senhora dos Anjos também recebe o nome de “Porciúncula”, que quer dizer “pedacinho”.

Sua igreja fica numa planície espaçosa, há pouca distância da cidade de Assis, Itália, construída no ano de 352, por quatro peregrinos, os quais veneravam uma relíquia do túmulo da Santíssima Virgem, dedicada a Maria Assunta ao céu pelos anjos, que originou o título de Santa Maria dos Anjos. A história também traz como personagem importante São Francisco.

A celebração presidida por Frei Rogério – TOR teve uma homília muito carinhosa a respeito de Nossa Senhora dos Anjos, referenciando sempre Maria pelo seu amor a Jesus. Nas suas palavras, Maria é uma pequena porção, de quem pela graça de Deus, nasceu o Salvador. Desta pequena porção do amor surgiu algo grandioso que é Jesus Cristo, de quem ela também é serva.

Ainda segundo o celebrante, São Francisco é o restaurador da igrejinha de Nossa Senhora dos Anjos que, em ruínas, contou com a ajuda dos primeiros frades dando origem assim à Ordem dos Frades Menores e, neste luar nasceu neste lugar a Ordem Franciscana.

A imagem de Maria é sublime no que se interpreta o imenso amor de Deus, o sentimento de mãe pelo filho, a dedicação, a superação do amor, o exemplo que o mundo precisa ter para uma verdadeira renovação da vida.

Após a comunhão mais um momento especial aconteceu, a coroação de Nossa Senhora Porciúncula. Com as luzes da igreja apagadas, algumas crianças entram vestidas de anjo, entrou ainda um soldado, que representava a batalha do bem contra o mal e, no meio do corredor central, uma jovem vestida com um manto trazia nas mãos a coroa de Nossa Senhora. Os personagens foram recebidos pela assembleia com velas acesas nas mãos e se concentraram na parte lateral do presbitério.

No final da celebração, Frei Rogério reforçou que todos nós devemos seguir o exemplo do imenso amor de Maria, exemplo de humanidade, humildade, de servidão. Ela que mesmo sendo a mãe do Salvador é serva de Jesus, serva de Deus.

Por Hedre José

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *