Quinta-feira Santa dá início ao Tríduo Pascal

Na quinta-feira Santa, início do Tríduo Pascal, nós cristãos católicos celebramos o momento da instituição por Nosso Senhor Jesus Cristo na Santa Ceia do maior sacramento, a Eucaristia, onde o Corpo e o Sangue de Jesus são o pão e o vinho, representando a Nova e Eterna Aliança e a salvação conferida por Jesus Cristo na Cruz em expiação dos nossos pecados. A Santa Ceia relembra a comunhão dos irmãos em torno da Eucaristia, esse ato de amor de Jesus Cristo por todos nós, se consubstancia na sua morte e Ressureição.

Jesus ordenou aos apóstolos que, repetindo o seu gesto, celebrassem sacramentalmente o Seu sacrifício ao longo da história da Igreja. Com isso, celebra-se, também, a instituição do sacerdócio, onde homens entregam-se, por amor a Deus, à vida de anunciação da Boa Nova de Jesus.

Nesta celebração, um gesto simples de doação, humildade e amor de Jesus nos foi rememorada pelo nosso pároco, Frei Agostinho, o Lava-Pés, momento único de demonstração do espírito cristão de servidão e compaixão para com o próximo, onde 12 comunitários tiveram seus pés beijados, lavados e enxutos como sinal de misericórdia e entrega ao serviço do Reino de Deus.

Por fim, a celebração encerrou-se com a Vigília Santa de adoração à Eucaristia, tendo como intenções relativas à interação do homem com a natureza seguindo a espiritualidade de São Francisco, trabalhando o cuidado com a nossa mãe terra.

Comunidade São Dimas

Na Comunidade São Dimas também foi celebrada a liturgia da Quinta-Feira Santa. Presidida pelo frei Faustino TOR, a celebração recordou o amor de Deus por nós, através da instituição da Eucaristia, em que Jesus se faz alimento e nos dá Seu corpo e sangue. Como forma de nos mostrar que a humildade e o amor estão no serviço aos mais humildes, o celebrante repetiu os gestos de Jesus e lavou os pés de jovens, adultos e idosos da comunidade.

Frei Faustino relembrou que o gesto é repetido há pelo menos 50 anos na Comunidade de São Dimas, mesma idade que a igreja possui e também reforçou que, por tradição, nesta celebração a comunidade faz a renovação do compromisso da missão dos coroinhas e dos ministros que, diante do altar recebem as bênçãos para seguir na missão.

“O que nós estamos vivendo foram os últimos passos de Jesus antes da grande agonia na cruz e, sabendo o que viria a se realizar, Jesus instituiu a eucaristia, nos chamou a comunhão e ainda hoje nos chama a fazer com que a hóstia não seja apenas um ato simbólico, mas que seja a renovação e a Palavra de Deus a nos alcançar o coração”, disse.

Após a celebração da Quinta-Feira santa deu-se início a tradicional Vigília Pascal, com orações e adoração a Jesus presente no Santíssimo Sacramento.

Por Daniel Rocha e Francy Meiry

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *