Terço com as Famílias convida à reflexão social, política e econômica

Por Daniel Rocha

O terço com as famílias é uma das atividades desenvolvidas pela Paróquia São Jorge, por meio do movimento Iniciação à Vida Cristã (IVC), no intuito de congregar todas as pastorais, grupos e movimentos no espírito de ação e vivência do conceito de pastoral de conjunto, materializando os princípios cristãos de unidade, partilha e vida em comunidade.

Todos os meses, sempre na terceira quarta-feira, a comunidade paroquial se junta na igreja matriz para a elevação a Nosso Senhor Jesus Cristo, com a intercessão de Nossa Mãe, Virgem Maria, de nossos agradecimentos, pedidos de piedade, de cura física e espiritual de nosso povo.

A comunidade, voltando o olhar para Jesus Cristo, prostra-se, com humildade e temor, para colocar suas intenções individuais e coletivas nas mãos benditas e benevolentes de nosso Pai, confiando no plano de Deus para as famílias, que é a primeira sociedade.

Neste primeiro mês do ano de 2018, no mês da esperança, colocamos como intenções em cada dezena, temáticas relacionadas à questão econômico-social vividas pela nação brasileira, que neste ano terá, mais uma vez, a oportunidade de uma renovação política, incentivando que toda a sociedade participe e expresse, através do voto ético, esclarecido e consciente com a política saudável, o propósito de eleger pessoas comprometidas com o respeito incondicional à vida, à família, à liberdade religiosa e à dignidade da pessoa humana.

Os temas abordados foram segurança, saúde, educação, trabalho, política e meio ambiente, utilizando uma linguagem do povo e trazendo para reflexão, dados e situações de descaso, desalento, desespero, indiferença com a qualidade de vida e dignidade da população, além de proporcionar um momento de união e fortalecimento da comunidade no seu papel de agente ativo na construção de um Brasil mais justo e solidário.

Neste ano, a Campanha da Fraternidade nos apresenta o tema: “Fraternidade e Superação da Violência” e tem como lema “Em Cristo Somos Todos Irmãos”, portanto, no primeiro mistério nossas intenções e orações foram direcionadas para situação da segurança pública em nosso país. No último ano, conforme o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), o Brasil atingiu a marca de maior número de mortes violentas intencionais já registradas pelo instituto.

A pesquisa mostrou outros dados alarmantes, como as 61 mil mortes violentas intencionais, sendo 2,7 mil roubos seguidos de morte, 430 policiais mortos em missão ou não; 71.796 notificações de pessoas desaparecidas e 49.497 ocorrências de estupro.

No segundo mistério as orações tiveram como intenção a saúde pública no Brasil. O sistema de saúde brasileiro, que tem como princípios a universalidade, integralidade e igualdade, deve ter garantido o direito de acesso a todos sem qualquer forma de distinção, por meio de um atendimento integral. A cada ano, mais de um bilhão de consultas médicas são feitas pelo SUS, no Brasil.

No terceiro mistério foram destacados a educação e o trabalho, instrumentos de dignidade para o nosso povo. Em uma das piores crises político-econômica de todos os tempos em nosso país, com mais de 13,1 milhões de desempregados, sendo 280 mil só no Amazonas, conforme o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), os temas merecem muitas orações e também reflexão.

Sobre a proposta de reforma da previdência, a CNBB afirmou, em 2017, que a mesma “escolhe o caminho da exclusão social” e convocam os cristãos e pessoas de boa vontade “a se mobilizarem para buscar o melhor para o povo brasileiro, principalmente os mais fragilizados”.

Na mesma situação está a educação em nosso país, o Brasil possuía, em 2017, 2.480 crianças e adolescentes fora da escola e os dados tendem a piorar, pois a emenda constitucional 241/2016 congelou os investimentos em educação pelos próximos 20 anos.

No quarto mistério foi contemplada a política, que deve ser vivida de forma ética pelo nosso povo como um instrumento de mudança e construção da nossa sociedade. Segundo dados da ONU, a cada ano, US$ 1 trilhão dos recursos financeiros destinados às políticas públicas são gastos em subornos, enquanto que cerca de US$ 2,6 trilhões são desviados pela corrupção, o que representa mais de 5% do Produto Interno Bruto (PIB) mundial.

No Brasil, o custo da corrupção, segundo o Ministério Público Federal, está em torno de R$ 200 bilhões por ano. Cabe a nós como igreja – na missão evangelizadora e pastoral, sobretudo nas nossas famílias – chamar a atenção para os princípios éticos pelos quais os fiéis devem orientar-se e participar da vida política.

No quinto mistério foi meditado sobre o meio ambiente, que é a nossa casa, são as nossas ruas, a natureza e todos os seres vivos. Dados do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento Básico (SNIS), de 2013, mostram que pouco mais de 82% da população brasileira têm acesso à água tratada.

Mais de 100 milhões de pessoas no país ainda não possuem coleta de esgotos e apenas 39% destes esgotos são tratados, sendo despejados diariamente o equivalente a mais de cinco mil piscinas olímpicas de esgoto sem tratamento na natureza.

Assim, a espiritualidade foi embalada pelas músicas das diversas Campanhas da Fraternidade, evidenciando que a Igreja Católica está sempre atenta às necessidades da sociedade e realiza de forma eficaz seu papel social, conduzindo o cristão católico a uma dimensão de misericórdia e cuidado com o outro.

A dinâmica do terço foi baseada na construção de um Brasil melhor, pois, em cada mistério, por meio de representantes da Escola de Fé e Cidadania, do setor Avenida Brasil, de pastorais e suas famílias, uma parte do mapa do Brasil mostrando cada região (Norte, Sul, Sudeste, Nordeste e Centro-oeste), era montado. A mensagem repassada foi de que cada cristão pode e deve fazer a sua parte na luta por melhores condições de vida.

Jesus Cristo, nosso Salvador, mostrou-nos como o cristão deve agir durante sua vida, sendo sal e luz por onde quer que passasse, atuando com misericórdia, fomentando a vida, e vida em abundância, disseminando o amor, a esperança e anunciando a Boa Nova. Além disso, vivenciando a nova aliança com nosso Deus, devemos ser, veementemente, contra qualquer forma de morte (física, psicológica e espiritual), qualquer forma de opressão, indiferença, dominação e discriminação.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *