Maio encerra com a Coroação de Nossa Senhora e o convite para seguimos o exemplo de Maria

Por Michele Gouvêa

Um dos mais belos momentos da Igreja Católica foi celebrado nesta quarta-feira, 31, na paróquia São Jorge: a Coroação de Nossa Senhora. Ela que é mãe de Jesus e nossa foi relembrada com amor e devoção por todos os carismas e por toda santidade que possui, mas especialmente por ter dado o SIM mais importante da humanidade, o sim que permitiu que tudo fosse cumprido. A imagem que foi coroada por um menino, vestido de anjo, e por pastorinhos foi a imagem peregrina de Nossa Senhora de Fátima.

E para render graças à mãe de Jesus, dezenas de fiéis compareceram à igreja, alguns com flores a serem ofertadas à Nossa Senhora. As imagens que simbolizam momentos que marcaram a história peregrina e de fé da Mãe Santíssima entraram, em romaria, já no início da celebração, que foi presidida pelo frei Faustino. As imagens foram colocadas no altar, ao redor das imagens de Nossa Senhora Aparecida e de Nossa Senhora de Fátima.

As imagens foram escolhidas porque neste ano, o ano mariano, a igreja relembra os 100 anos da devoção à N.S de Fátima e os 300 anos de devoção à N.S Aparecida. Durante a homilia, frei Faustino chamou atenção para o que os festejos do ano mariano representam para os fiéis. Ele questionou: o que tem para nos dizer esta festa então? E complementou afirmando que ela nos mostra que a mãe de Jesus é serva, que é acolhedora, que é visitadora, aquela que tem atenção com a necessidade de todas as pessoas e que ela representa que, todo e qualquer, ser humano tem capacidade de amar.

E completou dizendo que, se de um lado temos Maria, tão generosa e boa, do outro temos sua prima Isabel, que representa que todo e qualquer ser humano tem necessidade de ser acolhido, tem necessidade de ser visitado. Essa visita, disse o frei, a coloca como a primeira ministra da eucaristia, a primeira representante da pastoral da acolhida, da pastoral familiar, entre outras por seu aspecto santo, humilde e amoroso.

“Ela, com esse gesto, nos ensina a levar Jesus às pessoas. Ela nos dá esse exemplo como serva, como acolhedora, como anunciadora da Boa Nova de seu filho Jesus. Então, essa festa da coroação ajuda-nos a refletir sobre como foi Maria na face da terra. Ela é muito sutil e discreta, pouco fala em sua prática existencial. São somente sete vezes que ela profere algumas palavras e, na última, ela pede para que a gente faça tudo o que seu filho disser. ‘Fazei tudo o que ele vos disser’”, recordou.

Dito isso, Maria nos pede que estejamos atentos ao que Ele nos pede, ao que Ele nos traz, ao que Ele nos orienta e assim ela se coloca, constantemente, como aquela que continua seguindo seu filho, servindo seu filho e nos ajudando a manter o foco no centro da nossa caminhada cristã, seu filho e Nosso Senhor Jesus Cristo. “É Ele que, de fato, nos leva para o Pai. É Ele que, de fato, é a imagem que tem a face viva do Deus verdadeiro, a imagem da misericórdia de seu filho Jesus. E nós, que queremos caminhar com Jesus, aprendamos também a caminhar com Maria. Que possamos nos colocar à disposição para servir, para amar, para acolher e para orientar”, falou.

Por fim, o religioso ressaltou a necessidade do silêncio em meio a tanta barulheira, que muitas vezes impede que os filhos escutem o que Maria tem a dizer. “Todos nós precisamos de paz, de harmonia, precisamos de solidariedade, precisamos vivenciar, de fato, a civilização do amor e a fraternidade universal. Que a Mãezinha querida de Jesus nos ajude a sermos fiéis seguidores de Jesus Cristo. Que não tenhamos medo de ter voz e vez dentro da nossa sociedade para que a gente possa perceber que Ele precisa, de fato, nos tocar e transformar a cada um de nós”, afirmou.

Jovens da CEB Nossa Senhora de Fátima e do grupo de coroinhas Paulo Pavlik fizeram uma encenação com música e dança, embelezando ainda mais o momento de festa, reflexão e renovação cristã.

Fotos: Hedre José

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *