Procissão relembra os passos de Jesus antes do calvário

Texto: Michele Gouvêa e Daniel Rocha

No segundo dia do Tríduo Pascal a igreja revive a Paixão e Morte de Jesus Cristo. O dia de maior concentração dos cristãos, onde é procurado o silêncio, a reflexão, a oração. É um dia de guarda muito especial para quem vive uma “entrega” a este dia.

A Paróquia São Jorge, mais uma vez, reuniu seus fiéis comunitários às 15h, na igreja matriz para a Adoração à Cruz, onde todos se prostraram no madeiro, beijando-o ou somente fazendo orações. Após a celebração os fiéis se dirigiram para fora da igreja afim de esperar o início da Via-Sacra, que relembra o trajeto que Jesus percorreu até o calvário, onde foi crucificado ao lado de dois ladrões. Na procissão aconteceu uma parada ao lado da avenida Brasil, na rua Edson Instanislau, em contemplação ao igarapé do Franco, fazendo uma referência à poluição ao meio ambiente,que contradiz o que a Campanha da Fraternidade deste ano, uma defesa aos Biomas Brasileiros, pede.

Após preces e orações a procissão prosseguiu. Everaldo Andrade, 56 anos, é adventista, morador no bairro Novo Aleixo, mas participa das procissões, pois a mãe dele faz trabalhos pastorais na comunidade de São Jorge. Segundo ele, acha interessante esse movimento da Igreja Católica, e completa dizendo que todos deveriam focar em Jesus. Marlene de Almeida, 60 anos, diz que o significado da procissão é caminhar nos passos de Jesus e que a cruz, carregada pelas pessoas em todas as Vias-Sacras, simboliza a vitória de Cristo, que nos libertou do pecado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *